DICAS SIMPLES PARA QUE VOCÊ CUIDE MELHOR DE SUAS BATERIAS


19 | JUL | 2013

DESCUBRA ALGUNS MITOS SOBRE A CARGA DE SUA BATERIA DO CELULAR OU NOTEBOOK E APRENDA A CUIDAR DELA MELHOR, PROLONGANDO SUA VIDA ÚTIL!

Quando eu era pequeno e alguma pilha acabava, minha mãe a colocava na geladeira e ela voltava a funcionar por mais algum tempo. Mal sabiamos nós na época que isso era uma tremenda mentira, e que ela voltaria a funcionar um pouquinho pondo ou não na geladeira simplesmente por ficar algum tempo descansando.

Pois é, haviam mitos naquela época sobre pilhas, existem mitos hoje sobre baterias.

Os mitos

O mais comum deles é que você precisa manter sua bateria em uma montanha russa. Já ouvi dezenas de vezes as pessoas falando que o ideal é sempre deixar a bateria acabar inteira e depois carregá-la inteira.

Isso funcionava nas baterias antigas, de níquel. Elas possuiam aquele efeito de "viciar", se você carregava a bateria até os 70% e então tirava da tomada, ela poderia pensar que o 70% era o 100% e passava a carregar menos depois.

Você não precisa se preocupar com isso a não ser que seu notebook ou celular tenha mais de 8 anos, pois essas baterias caíram em desuso.

Sobre a carga

Carregando a Bateria

Sua bateria é de lítio, e por conta disso ela possui uma vida útil baseada em ciclos de carga. Cada vez que você a descarrega por completo, isso conta como um ciclo. Sua bateria tem centenas de ciclos de vida útil, porém quanto mais ciclos você fizer, mais perto ela chegará de sua morte.

Exatamente por isso é que você não pode deixar sua bateria acabar toda hora, o ideal é tentar deixar sua bateria de lítio sempre acima de 60%, isso irá aumentar sua vida útil e seu rendimento.

O curioso - e isso nem eu nem você vamos seguir - é que o ideal é não deixá-la chegar em 100% também, porque mantê-la plugada depois de carregada causa um desgaste que vai, aos poucos, diminuindo a quantidade de energia que ela armazena.

Então quando você deixa seu celular a noite inteira carregando ou trabalha com seu notebook o dia inteiro na tomada, vai reduzindo - bem lentamente - sua carga máxima.

Calibrando a bateria

Sua bateria também possui um micro-processador que ajuda a cuidar dela. Para que ele trabalhe bem, ele precisa ser calibrado corretamente.

Talvez daí tenha vindo o mito de descarregar a bateria inteira. Para calibrar uma bateria de lítio você faz exatamente isso, carrega até 100%, depois deixa descarregar inteira até que o aparelho desligue sozinho, e imediatamente carregue aos 100% novamente.

Porém isso não precisa não deve ser feito mais que uma vez por mês, frequência essa recomendada pelos fabricantes.

Outra coisa importante é que, logo que você compra um aparelho com bateria de lítio, é recomendado calibra-lo três vezes seguidas, então nos primeiros dias de uso vale a pena sim rodar o ciclo completo dela.

Economizando bateria

Algumas pessoas se questionam se desligar o Bluetooth e o GPS do celular aumentam a vida da bateria. Isso não vai influenciar em nada na vida útil propriamente dita, porém a bateria não tem um consumo linear, quanto mais recursos o aparelho utilizar mais rápido a bateria vai acabar.

Então, se você quer que a bateria dure um pouco mais, desligue sim o Bluetooth, o GPS e até mesmo o Wi-Fi se você não os estiver usando.

Eu costumo colocar meu celular em modo avião ou mesmo desligá-lo se vejo que ele está com menos de 10% de bateria e se eu não tenho previsão para carrega-lo tão cedo. É preferível que ninguém consiga me ligar mas eu consiga ligar numa emergência do que nenhuma das duas opções.

Outros cuidados

A temperatura é o maior inimigo de sua bateria. Ela também vai desgastar se ficar muito tempo exposta a altas temperaturas. Eu tenho o hábito de colocar meu celular como GPS em um suporte do vidro do carro, e em dias de Sol isso é extremamente não recomendado. Já vi essa telinha de superaquecimento algumas vezes por conta disso, mesmo com o ar condicionado ligado.

Outro ponto importante, quando um aparelho com bateria de lítio fica muito tempo sem carga - por exemplo, aquele notebook velho que está desligado há alguns meses - temos outro problema: Isso bagunça o micro-processador, e a chance de danificar a bateria na próxima carga aumenta consideravelmente, inclusive criando a possibilidade do processador permitir mais energia do que deveria, fazendo a bateria estourar.

Considerações

Agora que você sabe como cuidar de suas baterias, não precisa também se transformar num maníaco da bateria. 

Eu, por exemplo, trabalho quase sempre com meu notebook ligado à tomada. Ele tem hoje aproximadamente um ano de uso, e já perdeu 4,9% de sua carga máxima, ou seja, ela só carrega 95,1% do que já carregou um dia.

Um ano e perdi 5% por mau uso, em dois anos ela talvez tenha 10% a menos, 20% no terceiro ano, 30% no quarto? 70% da bateria do meu notebook atual ainda assim representa uma autonomia de duas horas. Será que o custo em desempenho pesa mais do que a comodidade?

E, pense bem, daqui quatro ou cinco anos você ainda estará com seu notebook e celular atuais? Acho pouco provável.

E não vamos esquecer das baterias do futuro que virão em breve revolucionar a forma como você carrega seus gadgets.

 


       




REDES SOCIAIS

FACEBOOK
TWITTER